segunda-feira, 18 de outubro de 2010

LISBOA



Atravessando o Tejo num velho ferryboat
Em direção à cidade construída nas 7 Colinas
Suas antigas e belas ruas estreitas
Os carros pedem: com licença se faz favor
Subirem ou descerem na Graça
Vista de enormes sobrados azulejados em Santa Apolônia
Confundidos com a modernidade em suas construções na Gare Oriente
Abrigando tradicionais restaurantes e arrojadas lojas de famosas grifes
Acomodando um eclético mundo cultural no Chiado
Onde circulam todas as raças: turistas e trabalhadores
Calçadas que dividem os espaços para os peões no Belém
Belém que dá nome ao seu doce que atravessa todas as fronteiras
Idas e vindas em centenários Elétricos que circulam na Luis de Camões
Numa cultura sem complexo: suas cores e modelos, línguas e sotaques
Nos carris do metro que levam ao Rato, Anjos, Sr. Roubado
Fim de tarde e aposentados, pescadores e casais apaixonados descansam no Sodré
E neste Cais, embarcando no comboio apreciando o Atlântico à esquerda, uma pausa no Estoril e seu casino, até desembarcar em Cascais e relaxar em suas praias
Ou subir à serra nas suas estreitas curvas e arborizadas sobre pedras que levam ao descanso da realeza em Sintra
Luminosa noite nos pubs, snacks e cafés recebendo quem procura seus romances, aventuras, irreverência, diversão no Bairro Alto ou nas Docas de Santos
Sem deixar de falar dos seus sabores: sardinhas do verão na Augusta
Bacalhau do COTIDIANO
Assim como o mais famoso vindo das vindimas do Douro
É uma cidade aconchegante, saudosista,
Antiga e tradicional com sonhos contemporâneos
Para expor suas obras no Pavilhão: shows e espetáculo
Castelo e Amoreiras
Contrastes da pequena e menina cidade, rapariga ainda e sempre será
Não perde o seu charme e seus encantos
Nos cantos dos fados da Alfama
Triste som de uma guitarra que canta as suas vidas
Olhando no céu, vê-lo iluminado pelos holofotes do estádio da Luz
Decorada com as flores atiradas na praça de toiros do Campo Pequeno
Na larga Liberdade centralizada
Pela Marques: destino dos campeões nacionais
Até o Comércio: que já foi o caminho dos mercadores de especiarias vindas das Índias
As peças do Tivoli ao lado do HardRock assistindo aos desfiles de Junho e seus casamentos de Santo António
São lindos e alguns sofridos rostos de belas mulheres na Saldanha, circulam e transitam no seu dia a dia
Por onde andar, fotografar, registrar histórias que escreveram a história
É de deixar saudade
Seguindo a A2
Quando atravessar o Tejo pela 25 de Abril
Rumo a Portela
Mas não pela última vez
E retornar para um eterno reencontro


Wagner Pires

Nenhum comentário: