terça-feira, 29 de dezembro de 2015

DESPEDIDA



Vento forte, chuva fria
Água na janela que respinga
Madrugada, silêncio na esquina
Olho para o nada na sua partida
Alma sofrida, dor doida
Solidão que nem se imagina
Seu sentimento egoísta
Preparando sua própria ruína


Wagner Pires

Nenhum comentário: