sábado, 26 de abril de 2014

HIPOCRISIA


Esta é a linha de raciocínio do mundo atual.


Os pais corrigirem seus filhos com algumas "chineladas": é agressão, portanto é crime passível de perder seu filho para o conselho tutelar.

Mas também não pode chamar a atenção: fazer uma crítica ou comentário que o leve a reconhecer seus erros, isso é bulliyng.
Bulliyng???

Ou seja, ensinar o filho por ter uma opinião contra o homossexualismo, também é crime: de homofobia.

Tudo é crime de preconceito e racismo, seja por raça, nacionalidade, porte físico, credo religioso, e por aí vai numa lista extensa.

As pessoas deixaram de pensar por si só para pensar baseado naquilo que a mídia e a sociedade determina como padrão, seja ela em que meio de comunicação for: TV, internet, jornais, etc.


Falar sobre políticos é desnecessário, porque estes sim são tremendos hipócritas, fazem belos discursos para buscar o benefício da nação e do povo, mas o único benefício deve estar no seu próprio bolso.



O Brasil se auto denomina o país do futebol, cujos craques vão jogar na Europa ou em qualquer lugar que lhe paga um bom salário. Nada contra cada um querer morar e trabalhar onde se é reconhecido profissionalmente e financeiramente, pois eu mesmo já o fiz e farei. Mas mostrar-se bons moços, patriotas, conservadores da moralidade; que isso, muito longe disso, o mundo do futebol é podre tanto quanto na política.

E na economia do futebol vemos as mesmas disparidades salariais que no resto do Brasil. Aí vem um fenômeno qualquer do futebol dizer que temos que olhar os milhares de jogadores que ganham pouco. Ué, porque não divide os ricos rendimentos de poucos com os muitos necessitados.
Estes poucos milionários do futebol e seus empresários inflacionaram o mercado da bola dominam até nos espaços publicitários.

Ah, o Brasil também é a terra do carnaval, este então, longe de ser um seguimento transparente. Sustentado pelo crime organizado e apoiado pelas prefeituras. Que tamanha contradição.

Pura lavagem de dinheiro do jogo do bicho, cujos membros fazem parte de instituições criminosas de tráfico de drogas, de armas, roubos, assaltos, assassinatos.

O lugar onde não deveria ter esta incoerência do que se prega e do que se vive é dentro de uma instituição religiosa.

O que tem me assustado imensamente, assustadoramente e preocupante no COTIDIANO são as atitudes destes líderes religiosos.
Deixaram de ser pastores que conduzem o rebanho para serem domadores e domesticadores, adestradores,  visando o benefício próprio com arrogância, poder, riqueza.
Números, o que importa são números. Quantos templos, quantas pessoas, quanto em dízimo e ofertas.
E os frutos. São clones, sósias, cópias, com mesmo pensamento, mesmo objetivo, mesmas diretrizes; por fim acabam se distanciando daquilo que é o principal: "AMAR a Deus acima de TODAS AS COISAS e amar ao próximo como a si mesmo".

Amar, tudo se resume a amar.


Volte aos parágrafos acima: família, sociedade, políticos, atletas, religiosos; precisam de atitudes de amor.

Se ama o filho, deve-se corrigir e não ser conivente, cúmplice dos erros. Afinal, perdi o direito de educar meu filho do jeito que eu considero ideal?
Se o político é um patriota e nacionalista, assim como o atleta, porque não abre mão dos seus privilégios.
O líder não é capaz de descer do seu alto e rico trono para andar descalço na terra junto aos seus seguidores, compartilhar da mesma mesa, sentir o cheiro do seu corpo, o suor da sua pele. Onde estão as obras sociais?

"Hipócritas, bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens." (Mateus 15:7-10)


Wagner Luis Pires

Nenhum comentário: