sábado, 29 de maio de 2010

INVERNO INVERSO



É tarde,
O sol já se foi
Pernas pesadas sobem cansada
Somente o som de folhas mortas de outono
Ficam as lembranças do inverno que ficou distante

É tarde.
Demais talvez
Num passado que não mudará
Paciência, perdoar e esquecer sem temer
A humildade levará ao novo inverno que se aproxima

É, Tarde!
Aqui nós dois
Aguardamos o anoitecer chegar
Para enfim descansarmos e relaxarmos
Você também deixará invernando nesta minha solidão

É tarde? 
Preciso recomeçar
Amanhã começará um outro dia
Despertar e olhar com esperança e alegria

Preservar no COTIDIANO esquecendo outros invernos


Wagner Pires

Um comentário: